segunda-feira, 18 de julho de 2011

Será contagiosa?

Freitas do Amaral aqui há uns anos adoeceu de uma doença estranha. Após ter sido presidente da Assembleia Geral das Nações Unidas desatou a ser um anti-americano primário. Assim de repente.

O quadro parecia fazer parte de um problema psicológico mais vasto em que o senhor tentou matar o pai (Marcelo Caetano) e agradar a alguma da mais improvável esquerda (o BE e o Socratismo).

Antes de melhorar completamente vimos Cavaco, filho de um pequeno-rico do Poço de Boliqueime e doutorado numa universidade de segunda ordem em Inglaterra, dar-se a desaforos porque os americanos não o trataram como igual. Ficou vingativo, segundo revelou a wikileaks.

Agora Marcelo surge com uma lógica anti-americana de grande improbabilidade e põe-nos o problema de saber se não estaremos perante um caso de  uma doença infecto-contagiosa. Diz Marcelo, entre outros delirios, que a Moody's atacava a europa e protegia o mundo anglo-saxónico.

Só que a Moody's mandou para o lixo a notação da Irlanda - que Marcelo inclui por superficialidade no dito mundo anglo-saxónico - o que levou Marcelo a concluir que a Moody's ataca a Irlanda para disfarçar a sua paixão pela Irlanda e o resto dos Anglo-Saxões?!
Como a Moody's pôs os Estados Unidos sob observação negativa o bom Marcelo decide que isso é coisa não vista na europa: aqui a Moody's bate primeiro e avisa depois e lá dá-se à gentileza de avisar mas não bater.

Pelo caminho Marcelo finge que Cavaco lixou bem lixado o Obama quando disse uma coisa vagamente patética sobre a força do euro e a fraqueza do dólar.

A Europa - que não é Portugal mas sim outra coisa - caminha para a irrelevância (com a possível excepção do Reino Unido que se atrelou aos Estados Unidos e eventualmente da Alemanha e seus satélites Franco - Checo / Polaco) face ao eixo USA - Ásia (Chinas / India / Japão / Coreia).

É preocupante e se se confirmar espero que surja uma vacina a breve trecho. Alternativamente os Gato Fedorento deviam reeditar o personagem Marcelo explicando o que todos percebem, menos Marcelo.

domingo, 17 de julho de 2011

O PS e a democracia

A falta de democracia interna do PS é um sinal da falta de saúde da democracia portuguesa.

O congresso inspirado na estética nazi que Sócrates organizou para ser coroado por velhos sem dignidade e jovens sem coragem políticas, como Almeida Santos e António Costa e os debates só para militante ouvir que Seguro exigiu são sintomas de um mal maior.

Tendo passado à beira de se tornar no apêndice de uma organização criminosa, o PS dificilmente terá salvação nos anos vindouros.

Em boa verdade só o PSD o poderá salvar.

segunda-feira, 11 de julho de 2011

Piedade?

Sob a batuta de Mário Crespo observei um diálogo entre duas pessoas com perspectivas antagónicas sobre as agências de rating e a economia de mercado em geral.

João Duque versus Octávio Teixeira.

Quem aterrasse em Portugal vindo do mundo germânico, já para não falar no anglo-saxónico, tomaria o diálogo como uma vitória de Octávio. As pessoas de cá sabem que não houve debate porque Duque não leva a sério as opiniões de Octávio.


Octávio é uma pessoa séria e trabalhadora. Tem um problema de sanidade cultural: interpreta o mundo baseado num sonho que teve.

Octávio afirma repetidamente duas coisas contraditórias: que os especuladores que nos emprestam dinheiro ganham muito porque cobram juros altos e no fim acabarão por receber o que emprestam. Depois afirma que Portugal nunca pagará a dívida dados os valores altos dos juros.

Diz que a Moody's quer fingir que Portugal não paga para subir os juros e assim ganhar muito e depois, duma penada diz que não pagaremos e os bancos perderão muito.

Não se percebe nada e ninguém empresta para no fim não receber.

Duque também é uma pessoa trabalhadora e parece sério. Tem um problema de sanidade cultural: entra num debate fingido em que assume uma posição complacente na aparência, um jogo de cortinas e de sombras em que substitui a troca de ideias por teatro.

Portugal é assim. Pessoas com um problema com a verdade ocupam o prime time.

domingo, 10 de julho de 2011

José Gomes Ferreira e as agências Americanas VII

Gostaria por fim que Gomes Ferreira explicasse o seguinte:

#1  Porque é que os jornalistas podem falar livremente e os economistas não?
#2  Como é que sabe quem são os donos dos CDSs se o problema desses derivativos é a sua falta de transparência?
#3  Que provas tem que os peritos da Moody's estão vendidos aos detentores dos CDS?
#4  Se os maus da fita são todos americanos porque é que tanta gente acusa os detentores dos CDS de terem contribuído para a falência do Lehman Brothers?
#5 Se é tão lucrativo levar à falência instituições e bancos porque é que isso não acontece mais frequentemente?
#6 Se o negócio é a falência porque é que os bancos americanos investiram tanto na Grécia, não como detentores de swaps mas como credores ?


Declaração de interesses:
Não sou detentor de CDSs

José Gomes Ferreira e as agências Americanas VI

E se virmos as patentes percebemos o que está a acontecer no mundo das ideias produtivas:

José Gomes Ferreira e as agências Americanas V

Porque a verdade é que o problema de ambos é este:

José Gomes Ferreira e as agências Americanas IV

E isto?

José Gomes Ferreira e as agências Americanas III

Eo que é isto?

José Gomes Ferreira e as agências Americanas II

Se os USA e o Canadá é que estão mal e a Europa é que está bem, o que é isto?

José Gomes Ferreira e as agências Americanas e Canadianas I

Diz Gomes Ferreira:


Pergunto eu:

Se os Estados Unidos e o Canadá não crescem e a Europa está bem o que é isto?



Fonte: FMI

Zona euro versus Mundo

20 anos:  1996 - 2016 (gráfico cortado; fonte: FMI)

Não se preocupem com a escala. Preocupem-se com a falta de crescimento económico.

Uma imagem vale mais que mil palavras mas deixo uma palavra: com a população a envelhecer espera-nos um problema de "sustentabilidade" ?

Crescimento a preços fixos


sábado, 9 de julho de 2011

A Financeirização da economia e a grande crise mundial

Tenho assistido a debates paroquiais em que economistas medalhados debatem os múltiplos aspectos da terrível crise que o mundo atravessa.

Um dos mais curiosos é o perigo da financeirização da economia.

Como não percebo nada fui Googlar sobre a crise mundial.

Eis alguns dados sobre a crise:

Crescimento da zona euro ANTES da CRISE: 0,5%, 1% ao ano.


Crescimento do mundo agora - 2010 -  (em plena "crise"):

MUNDO (sem europa): 5,4%

Algum esquerdista me explica?

O Irrelevante


Vou mandar fazer uma agência de rating independente.


quarta-feira, 6 de julho de 2011

sábado, 2 de julho de 2011

sexta-feira, 1 de julho de 2011

Modus operandi contra Passos Coelho

Passos esclareceu que pediu aos técnicos do ministério das finanças para lhe dizerem o que havia de fazer para arranjar 2.000 milhões de euros.

Yes Minister?

Modus operandi a favor de Passos Coelho

Em relação ao seu incumprimento da promessa de não mexer no subsídio de Natal Passos tem uma coisa a seu favor: não fez aquela cena Socrática de avisar o corte à queima roupa.

Anunciou-o de forma a que as pessoas pudessem preparar-se com antecedência.

quarta-feira, 29 de junho de 2011

Digam-me que é mentira sff

(via corta-fitas)


Bernardo Bairrão terá sido convidado por Miguel Macedo para seu secretário de Estado da Administração Interna.
Miguel Macedo convida pessoas sem dizer água-vai ao Primeiro-Ministro.
O PM veta nomes já convidados por causa do que disseram no passado sobre a privatização da RTP.
O Senhor antes de confirmado o convite manda o emprego às urtigas e fica no desemprego.

Em conclusão: ocupados a ler o direitasupraciliar o governo tem descurado a leitura deste blog

terça-feira, 28 de junho de 2011

Carvalho da Silva pouco impressionado

A CGTP exige neste momento de crise ao governo a elevação dos custos do trabalho. Não seria de dar alguma coisa em troca?

Sinais de crise

Os médicos e enfermeiros terão ficado agradados com o facto dos dois secretários de estado da saúde conhecerem a área da saúde.

Esse não é um requisito mínimo? Não. Esse é um  motivo de grande alegria.

domingo, 26 de junho de 2011

Será "aquela" Comissão de Serviço?!

Bom, o BCP tem um negócio muito pequeno na área da saúde.

Quando comparado com a CGD, O BES e o grupo Mello é irrelevante.

Será que o BCP vai, por mera coincidência, entrar para esse chorudo negócio?

Paulo Macedo e os euros

Dúvida genuína: quando pediu desta vez Paulo Macedo?

Quanto ganha? É que para ser o patrão dos impostos Paulo Macedo manteve o ordenado de 23.000 euros que ganhava na privada. Demitiu-se quando lhe quiseram mexer no ordenado.

Quanto ganha agora?

Passos Coelho e os sinais

Passos Coelho na sua curta governação tem dado sinais no sentido certo. Apesar de muitos gestos serem simbólicos têm o simbolismo certo.

Um dos gestos, a não nomeação de novos governadores civis, privou o aparelho partidário de mais de 20 lugares. Pode não ser muito em termos nacionais mas para os putativos 20 é um sinal e pêras.

terça-feira, 21 de junho de 2011

A Assunção de uma nova geração

Assunção Esteves e Assunção Cristas são duas notas de frescura e mudança geracional do novo poder.

Ao contrário do que se dizia o novo governo sempre tem estado de graça.

Dois erros de Nobre e um de João Miranda

Não gosto de Fernando Nobre, valendo isso o que vale pois não o conheço pessoalmente. Não gosto da sua imagem televisiva. Transmite uma imagem de arrogância e autocontentamento.

Tenho admiração pela sua carreira de fazedor e tenho admiração pela pedrada no charco que deu ao recusar o convite do PS e aceitar o do PSD.

Acho de domina mal o politiquês e não é certo que o seu pensamento seja suficientemente estruturado.

É de esquerda e ajudou a evitar que colasse a Passos Coelho a imagem de ultra seja do que for, tornando claro que se pode ser liberal sem "defender só os ricos". Ajudou a derrotar Sócrates. O PS sabe disso.

Dito isto esclareçamos o título:

João Miranda cometeu um erro: pensa que o pensamento por clichês não existe entre os liberais. Os ataques descabelados a Nobre provam que está enganado.

Os dois erros de Nobre, que alienaram o PS resumem-se nas duas palavras mais politicamente incorretas da década que passou:

Catalina Pestana.

Ele foi buscar Catalina Pestana durante a campanha presidencial e isso não há PS que possa aceitar. António Costa sabe-o  muito bem e nunca devia ter sugerido que se votasse no Nobre em nome de qualquer razão de estado.

Prós e Contras 20-06-2011

Poucas vezes vejo o programa Prós e Contras que quase sempre é não mais que prós e prós.

Desta vez vi alguma coisa. 

Carvalho da Silva muito superior ao resto dos convidados. Muito melhor no diagnóstico do que nas soluções, onde é toldado pela ideologia marxista.

O Presidente da CIP como sempre um desastre. Mistura uma retórica politicamente correta com propostas que em tudo antagonizam o discurso geral. Acaba a pedir dinheiro alegando que para crescerem as empresas precisam resolver os problemas de tesouraria. Ninguém lhe perguntou porque não cresciam as empresas antes das actuais dificuldades de tesouraria.

Isabel Vaz, da "família Espirito Santo", falha quando sai do mundo da gestão da saúde. Classifica o pensamento estruturado de Carvalho da Silva sobre economia como conversa fiada. Diz que o que é preciso é trabalhar. Irão mandar-lhe 700.000 desempregados com vontade de chegar a acordo com ela?

Emídio Rangel com generalidades e clichês e Inês Serra Lopes como uma versão melhorada do Emidio.

Adalberto mais sensato e o único que vale a pena ouvir (para além de Carvalho da Silva).

Entre os convidados jovens muito interessantes a mostrar que os melhores estão muito bem. É sempre bom ouvir exemplos do topo 1%. Ajuda-nos a pensar caminhos e impossibilidades dos outros 99%.
Diz-se que Natal é sempre que um homem quiser mas sabemos que não é. Nos outros 99% dos dias as prendas têm embrulhos que brilham menos, mas ainda assim têm de ser vividos.

Um Professor Universitário ia muito bem nos seus olhos azuis até que quando começa a dar exemplos de economia social vem com o herdeiro do Belmiro de Azevedo e com a fashion Margarida Pinto Correia, recordando-nos da Isabel Vaz Espirito Santo e do país real. Os rapazes que vão partir para os Estados Unidos não voltam.

Pelos miúdos valeu a pena assistir

segunda-feira, 20 de junho de 2011

Amaro da Costa faria a Sá Carneiro o que Portas fez a Passos?

Um cargo tão irrelevante como o de presidente da mais desprestigiada instituição da república não conseguiu ser garantido pela primeira opção do partido liderante do governo e aquela que tinha sido sufragada pelos eleitores da forma mais transparente de sempre.

Portas fez questão de dizer que a questão não era muito importante para a coligação governamental e, simultaneamente, dizia que se tratava de um cargo muito importante para a república.

Esta contradição é inultrapassável.

Portas derrota Passos Coelho num assunto que todas as pessoas de mediana inteligência sabem ser tão  protocolar como vazio, afirmando no processo que a coligação se cinge aos assuntos governamentais excluíndo as outras áreas de intervenção na condução da política nacional.

Portas fez a Passos Coelho o que Amaro da Costa ou Freitas nunca fariam a Sá Carneiro, o que Mota Pinto não faria a Mário Soares.

Portas fez a Passos Coelho o que já fizera a Marcelo Rebelo de Sousa: enxovalhou-o publicamente.

Daqui para a frente ou Portas anda de manga curta ou Passos Coelho anda de colete à prova de objectos ponteagudos.

Fernando Nobre e Pedro Passos Coelho derrotados

As acusações a Fernando Nobre atingem aspectos fantasiosos. Ouço agora que Fernando Nobre durante a campanha presidencial se pronunciou contra a democracia. Ouço que os outros partidos podem recusar o candidato do partido que ganhou as eleições mas que seria perigoso que o PSD recusasse os vice-presidentes dos outros partidos.  Ouço que foi um erro a transparência do PSD em dizer qual era o seu candidato a Presidente da AR e que a coisa se negoceia nas costas dos eleitores. Ouço que Guilherme Silva é uma grande figura do parlamentarismo português.

Paulo Portas põe o seu partido na linha de fogo: se Fernando Nobre ganhar à "terceira volta" o CDS é derrotado. Se Nobre perder a coisa é bem pior: Portas derrota o Primeiro-Ministro. 

Ora Pedro Passos Coelho está no Parlamento a comandar as operações e Paulo Portas está no Parlamento a comandar as contra-operações. Não há disfarce possível. Este é o Primeiro-Ministro que esticou muito duro a corda com Sócrates depois de ter sido mal tratado em privado. Derrotado, Passos Coelho vai ter de demonstrar que ele é que manda.

Paulo Portas desejava que o PS elegesse Nobre. Mais: estava convencido que isso iria acontecer. Neste momento julgo que Paulo Portas pede para ser derrotado...

Mictório sagrado

Paulo Portas e Passos Coelho reunidos no WC do parlamento após o chumbo da eleição de Fernando Nobre para a Presidência da Assembleia da República.

Após a saída do quarto de banho dos líderes do PSD e CDS falou Guilherme Silva com alguma dificuldade em articular o que se vai seguir. Mas pediu atenção a uma tal sineta.

domingo, 19 de junho de 2011

Subsídio de desemprego

O subsídio de desemprego é um obstáculo à reentrada no mercado laboral em tempo de crise por vários motivos que não vou explorar.

é por isso que sou a favor de ser possível manter uma parte do subsídio quando o novo posto de trabalho é pior remunerado em termos líquidos que o subsidio propriamente dito.

Esta alteração facilitaria até a mobilidade ao estimular o desempregado com determinada especialização a aceitar trabalho noutra área de actividade.

Visto de um ponto de vista macro a mobilidade é sempre um trunfo para as economias de mercado.

Contratos de trabalho

Mexer na legislação laboral só se consegue em situação de crise. Contudo liberalizar essa legislação tem piores consequências quando há crise pois é fácil imaginar que se há uma descida do valor médio do salário pago para as mesmas funções seria tentador para as empresas despedir as pessoas para contratar outras (ou as mesmas!) a um preço inferior.

É por isso que concordo com a mudança da lei só para os novos contratos. Quem entra no mercado de trabalho entra com as novas regras. A lei deixa de ser um impedimento à contratação, desaparecem os falsos recibos verdes que penalizam a segurança social, desaparecem os contratos a prazo e cria-se um contrato laboral único mais livre para as micro e pequenas empresas e menos livre para as médias e grandes empresas.

Emigrar para onde?

Uma participante na marcha que hoje reuniu duas centenas de manifestantes na Avenida da Liberdade pela verdadeira democracia, movimento que fez a acampada no Rossio e que destaca nas suas exigências a luta contra a precariedade no emprego, explicava o seu drama:

Está no fim da licenciatura e é certo que se arranjar emprego em Portugal será certamente um emprego precário. Por isso só lhe resta uma solução: emigrar.

A questão que se põe é emigrar para onde? É que a grande maioria dos nossos jovens que emigram estão a partir para países em que os empregos são "precários", no sentido que a palavra tem para a  esquerda e para os sindicatos - trabalho não protegido por um contrato permanente do qual só se possa ser despedido por processo disciplinar ou despedimento colectivo.


Teixeira dos Santos - fechar com chave de ouro

Teixeira dos Santos decidiu faltar à reunião do Eurogrupo em curso neste momento. O mesmo Teixeira dos Santos que a certa altura dizia que quem tinha de negociar com o FMI / UE era a oposição e o Presidente da República. Na altura constava que o fazia porque estava "muito chateado".

Agora parece que já se tinha despedido dos seus colegas e isso prevalece sobre a razão de Estado. A imprensa que finge horrorizar-se com alunos que copiam toma a explicação como boa.

Enviou-se no seu lugar o embaixador Lobo Antunes. Só um ministro que sabe que em boa verdade nunca foi levado a sério fora de portas, acharia que podia fazer tal coisa impunemente. Poucos dão pela falta de jogadores que nunca saíram do banco de suplentes.

O governo que no futuro o nomear para um cargo público de responsabilidade um palmo acima do chão classifica-se a si mesmo.

Sarkozy e Blair: a história repete-se?

Há pessoas que depois de falar com Sarkozy mudam de ideia. Aconteceu recentemente com Berlusconi e acontece repetidamente com Merkel.

Num certo sentido e tidas em conta as devidas diferenças a França parece estar a tentar moderar a besta alemã da mesma forma que Blair moderou os ímpetos de GW Bush.

Esta Alemanha está a mais no euro.

Aparentemente a Alemanha não gosta de ver no euro países como Portugal, a Grécia ou a Espanha.

Penso o contrário.

Seria interessante que Portugal, a Espanha, a Itália, a Irlanda, o Reino Unido e a Bélgica tivessem a coragem de propôr que Von Rumpy se demitisse e Blair assumisse a presidência da europa e, com a exceção do Reino Unido e tal como já foi proposto neste blogue, estes países propusessem ainda que a Alemanha saísse do Euro.

Talvez assim os alemães acordassem antes da tragédia. Em troca podíamos exportar aquele senhor de quem Merkel gostava tanto - o "Filósofo do Ferro Venho".

sábado, 18 de junho de 2011

Mudança de governação após a mudança de Governo?

Pela segunda vez desde desde o 25 de Abril, desde a eleição de Sá Carneiro, à mudança de partido dominante corresponde uma mudança de política e não apenas uma mudança de pessoas.

Nesse sentido, com a excepção de Paulo Rangel, há uma vantagem inesperada na recusa das 3 outras personalidades que terão sido convidadas e recusado fazer parte do governo.

Ordem dos Médicos

O bastonário parece agradado com as qualidades pessoais do novo Ministro como gestor. Aguardam-se os nomes dos secretários de estado.

Mário Nogueira

O responsável por um dos  sindicatos dos professores, a FENPROF manifesta-se não como representante dos interesses de um sindicato mas como líder de uma corporação do antigo regime ou como um partido da oposição monotemático.

O sindicato em causa parece discordar do povo eleitor.

Seria interessante se os sindicatos promovessem uma maior rotatividade das suas lideranças de tal forma que os líderes dos sindicatos fossem ainda profissionais das áreas que representam.

Dito isto importa reconhecer que ele tem razão em duas coisas que diz:

O número de alunos por turma é muitas vezes excessivo penalizando o percurso de todos os alunos, principalmente dos que divergem a média e trabalhos burocráticos que se impõem em catadupa aos professores prejudicam o que é nobre nas suas funções: ensinar.

A conta para pagar a primas donnas está a zeros

Mário Nogueira, líder da Fenprof, afirmou que  "muitas vezes o estilo" constitui um entrave às negociações entre os sindicatos de professores e o Ministério da  Saúde. 

Muitas vezes.

O estilo.

Apesar de não estarem na mesma posição pois o Ministro representa o povo e os sindicalistas profissionais da Fenprof representam principalmente os seus associados e, eventualmente, os interesses de carreira dos professores em geral, a situação dramática do país impõe que todos  se portem como adultos e não como prima donnas.

Normalização

A política não acaba nunca enquanto existirem dois homens.
Mas a campanha pelo fim de Sócrates, quer da sua sombra quer da sua penumbra, terminou com o seu fim agora que o novo governo desponta e transforma os anteriores actores em memórias.

O novo governo, mal ou bem, é o advento de uma nova geração à direita.

Morreu o PSD que ninguém representa tão bem como Marques Mendes. Morreu de tal forma que até Cavaco parece estar a terminar o seu segundo mandato.

Parafraseando Barreto tomámos a tarefa de demonizar o demónio, cuidando que ajudávamos à nova alvorada.

Chegou a hora de enterrar essa campanha. Se algum leitor quiser cópias dos posts do tempo dessa batalha estou à sua disposição para os fornecer.

MBO

sexta-feira, 17 de junho de 2011

RTP N

Voltei a gostar das intervenções de Helena Garrido.
Conhecimento de bastidores, perspicaz, intelectualmente honesta.

quinta-feira, 16 de junho de 2011

Pacheco Pereira bem

"Estamos a entrar num ciclo para a qual não temos experiência prévia."

Quadratura do Circulo - 16-06-2011 (2)

Pacheco Pereira -
Se a Alemanha pode bloquear a UE nós também podemos.
Devemos resistir ao dictat da Alemanha.
Sou há muitos anos defensor que o estado não deve ser dono de meios de comunicação social.
Privatizar a RTP é privatizar a RTP1.
Estamos a entrar num ciclo para a qual não temos experiência prévia.


Lobo Xavier -
Bem a dizer que o ministro das finanças deve saber alguma coisa de finanças e não fique espantado se lhe falam da curva de Philips.
Mal a tentar explicar as diferenças entre as causas exógenas da crise (pequenas) e as causas exógenas da não saída da crise (grandes)

António Costa -
Lembra Salgado Zenha como Ministro das Finanças do VI governo.
Marques Mendes seria um bom ministro político das finanças.
António Costa com alguma grandeza a declarar que se fosse deputado votaria no candidato apresentado pelo partido mais votado.
A culpa não é da Alemanha é do PPE.

Quadratura do Circulo - 16-06-2011 (1)

C'os diabos, parece que o Lobo Xavier arranjou um problema: ele gosta de concordar com Pacheco e gosta de concordar com Passos Coelho mas Pacheco não concorda com Passos.

Luis Marques Mendes na TVI

"A propósito do copianço devo dizer que os Magistrados não são Enfermeiros ou Carpinteiros ou Gestores."

??!!

"No futuro um arguido que seja condenado pode dizer: com que autoridade me condenam se vocês copiaram num teste"

??!!

Mudei de canal.

Pedro Mota Soares na SIC

"Vamos incutir na Administração Pública uma cultura de promoção do mérito e da excelência."

Veremos...

"O governo deve sem arrogância pedir ajuda à sociedade."

"É necessário obter uma responsabilização das instituição da justiça."

TERROR PURO


Imaginem que tudo tinha sido um sonho, acordávamos e Sócrates tinha ganho as eleições e era primeiro-ministro mais quatro anos...

Está o Boaventura Sousa Santos na SIC

O senhor consegue "parecer ser pior do que parece". Vejam o que ele diz:

Não somos piores que os Alemães mas os Gregos são ainda muito piores que nós.

Devíamos estar habituados a dever dinheiro - já no século dezassete devíamos dinheiro.

A austeridade não leva a lado nenhum e é preocupante pois está a acontecer em todo o lado.

Acham normal que os parquímetros de Chicago tenham sido vendidos a um país do Golfo.

A água é um bem comum da humanidade. Se a água for privada e as pessoas não pagarem cortam-lhes a água.

Comprar terra no estrangeiro é uma forma de colonialismo.

Cerimónia simples de estética moderna

Gostei da cerimónia frugal de assinatura do acordo CDS - PSD e das declarações que se seguiram. Os políticos pareciam pessoas.

Gostei ainda mais de ouvir Passos Coelho dizer que não fará oposição à oposição, passando o tempo a culpabilizar o passado.

Empregado desaparecido - Procura-se

DESAPARECIDO

Desapareceu dos calabouços da embaixada da Alemanha, dia 5, um psicopata de pouco menos de 55 anos, raça branca, cabelo branco curto, nariz tipo pinóquio.

Trata-se de indivíduo bem falante, mitómano (promete tudo), com delirio de grandeza (diz que vai ser presidente da república) para além de ideação paranoide de conteúdo persecutório (diz que foi oportunismo de um coelho), em estado de negação (diz que não foi ele) portador de pasta cheia de diplomas falsificados (diz que estudou ao fim de semana e agora é engenheiro).

Veste fato Armani.

Individuo perigoso (cuidado com as carteiras).

Deixou de nos ser útil e por isso damos recompensa de 100.000 euros, se fornecida prova de que depois de encontrado foi atirado ao mar.

Ass. Angela Merkel

quarta-feira, 15 de junho de 2011

"A Equação"

Para se perceberem as críticas ao JMF (por este ter acusado Pilar de ter mentido só porque ela mentiu) é melhor consultarmos a equação do Meneses na Página Inicial do supraciliar.

"Em defesa de Paulo Portas"

A desconcertante frontalidade de Passos Coelho na campanha e o histórico de coragem de Portas na Defesa não se devem perder.

Às vezes temos de ter a pequena coragem de defender um homem de coragem maior.

Um homem que disse NÃO ao país que disse sim a França.

Na página inicial do blogue.

Portas- a Ministro o homem de nervos de aço

Ao contrário do que diz o Pezarat Correia Portas é dos poucos políticos profissionais que têm estofo para serem ministro dos NE.

Precisamos como MNE não um diplomata simpático e bem falante mas um político corajoso, puro e duro.

Paulo Portas veste essa farda.

Recordam-se da crise do derrame de petróleo ao largo da Galiza? Do Prestige? Os espanhois tentaram, depois de jogar mal, jogar sujo: empurraram o petroleiro em rotura para as "águas portuguesas". De preto mortas ficariam pintadas as praias portuguesas.

Portas fez o que infelizmente poucos portugueses, vergados e sem alma, fariam: mandou a Marinha de Guerra cuspir o petroleiro para "águas espanholas".

A Marinha de Guerra. Sem apelo nem agravo. Espanha é uma potência europeia e nós somos irrelevantes, muitos aconselhavam a vergar, mas Portas, o homem de nervos de aço achou que era ao contrário. Ficou Espanha, a potência, a fazer de falso Calimero.

Hoje alguém tem de dizer claro que a Alemanha não pode continuar a jogar sujo

segunda-feira, 13 de junho de 2011

Transparência? Que transparência?

Aventar não está a conseguir saber que deputados vão ser subsidiados / reformados (5 + 2). Em tempo de crise há quem continue a comer alegre e ilegitimamente os nossos impostos.

Agora em nome do falar verdade aos portugueses o PSD deve fazer com que saibamos quem são os doutos  contemplados.

António Barreto - a esquerda de outro campeonato

Entrevistado na SIC dia 11 mas só estou a ver agora.

Coisas ouvidas:

AB Caminhada alucinada para o abismo nos últimos 2 ou 3 anos.

AB Parece que a Chanceler alemã disse ao Sócrates que não queria levar ao parlamento alemão um terceiro pedido de resgate e isso levou a que este recusasse a ajuda externa.

O entrevistador sai-se com aquela de que "não será o país todo culpado?"

AB Não gosto da ideia de que "todos somos culpados" pois nem todos têm a mesma formação e informação.

O entrevistador pergunta se estas crises de insustentabilidade cíclicas não estarão nos nossos genes.

AB Os portugueses comportam-se como se não tivessem filhos (citando alguém).

(António Barreto usa uma linguagem em que às vezes parece pedir desculpa para dizer a verdade ( no estado novo as finanças públicas eram um pouco mais equilibradas).

AB A má reputação de Portugal afecta a reputação dos portugueses que trabalham no estrangeiro. Olham para e pensam quem são estes aproveitadores?

(Parece passar a ideia que andámos historicamente pela India, pela Ásia, pela América não fazendo mais que chico-espertismo ( e agora achamos que a europa é mais um desses continentes). Julgo que António Barreto se exprimiu mal).

AB Detesto que as pessoas digam que os políticos são maus porque o povo é mau e é assim mesmo. Os dirigentes têm de ser melhor que quem dirigem.

AB "Não me importo de demonizar quem é demónio".

AB É importante sabermos por que mecanismos chegamos onde chegamos. Não basta a derrota eleitoral.

AB Errei em relação ao Banco de Portugal. Tem feito um bom trabalho, exemplar no último mês, sendo o mais honesto dos interlocutores dos negociadores estrangeiros.

AB O INE vai ser vital no meio disto tudo. Muitas coisas serão decididas por decimais.

AB O que foi feito para coordenar as centenas de medidas que têm de ser tomadas dado o memorando, até entre os três signatários.

Tivemos eleições pelo meio o que pode ter dificultado as coisas, diz o espírito que entrevista.

AB Não. O que é que isso impediu?

AB É um erro não associar o Partido Socialista às equipas que vão implementar o memorando.

AB Nem Assis nem Seguro disseram ainda até que ponto se comprometem especificamente com a implementação do memorando. Devem fazê-lo na campanha.

AB Tanto quanto sei o problema de Sócrates não é judicial. Não quero que se crie uma comissão de apuramento da verdade.

AB A justiça nunca se irá reformar por dentro. Até porque terá de haver uma revisão da constituição.

AB Os juízes acham que a independência de julgamento depende da autogestão judicial e venceram em passar essa ideia.

Diz o espírito que entrevista: se os casos judiciais são todos diferentes como se pode falar em produtividade?

AB Claro que pode.

AB O juiz não manda no tribunal e devia mandar.

AB Cada geração tem o direito de rever a constituição. Eu preferia uma constituição nova ou renovada.

AB Houve duas revisões importantes: a primeira retirou a revolução da constituição e a segunda introduziu civilismo na economia. A revisão podia ser feita durante dois ou três anos e não dois ou três meses.

AB Nós vivemos num sistema partidocrático puro.

AB A nossa constituição foi feita a medo. Medo do Sidónio Pais, medo do Salazar, medo do Dom Carlos, medo do Eanes, medo do Otelo, medo dos militares.

AB Eu vou contar quantos ministros são bons, politicamente competentes e honestos.

AB Espero que não venham agora dizer "ai que a situação é pior e nós não sabíamos".

AB O dever de informar a população é tão importante como a escolha dos ministros.

AB A minha maneira de contribuir não é voltar à política activa.

Uma entrevista diferente das habituais, ou seja, uma entrevista não diz apenas o que todos já sabemos ou o todos esperam que ele diga.

O que vende programas de TV nestes dias B)

2º Malhar no Cavaco.

Infelizmente pelos motivos errados (a destruição da agricultura e das pescas).

Eu, gratuitamente, ofereço o motivo certo: Cavaco era Presidente da Republica durante 5 dos 6 anos que Sócrates, o Falso, precisou para destruir a economia do país.

Lamento ser inconveniente mas enquanto a moda exige que se fale do tostão (agricultura e pescas) eu falo do milhão (100.000 milhões de euros que só o sector estado pediu emprestados mais não sei quantos milhões que a europa envia todos os anos nos vários programas da UE).

O que vende programas de TV nestes dias A)

1º É a agricultura e as pescas. A agulha virou.

É o que está a dar.

E quem deu o mote? Um cavador? Um empresário? Um investidor?

Não - o Presidente que é economista de formação. Pede-se uma ideia a um político e ele como nada percebe do país real saca de um clichê e a imprensa corre atrás. Querem melhor razão para não ser o estado a decidir para onde vai a economia do país?

P.S. Fala-se muito do regresso dos jovens à agricultura e a malta corre a pensar que vai ser agricultor dono de terras. Vamos rir de nos mesmos: então os jovens dedicarem-se à saúde é serem donos de hospitais, dedicarem-se à indústria é serem donos de fábricas, dedicarem-se à educação é serem donos de escolas privadas?  Porque será que não se diz que os jovens devem ir como assalariados trabalhar quem tem a terra ?

sábado, 11 de junho de 2011

RTP - 2 mil milhões de euros numa década não será demais?

Com a gravissima crise económica que atravessamos ter gasto mais de 2 mil milhões de euros nos últimos 10 anos não será demais?

Não será um luxo?

RTP tem de deixar de ser financiada com os nossos impostos.

Libia no atoleiro

O atoleiro em que se encontra a guerra na Libia prova bem a dependência da europa da força militar norte-americana.

Países como a França, o Reino-Unido e a Itália, em conjunto, são incapazes de pôr em ordem meio vizinho de pouco mais de 6 milhões de habitantes, apesar de terem no terreno o apoio da maioria desse país.

Militarmente a europa é um gigante de pés de barro. Um tigre de papel.

Agricultura

A agricultura representa talvez 2,6% do nosso PIB.

É claro que a importancia da agricultura não se esgota na economia.

Contudo, no que toca à economia, para o país crescer é necessário que os seus vários sectores, nomeadamente os dos bens transacionáveis, cresçam. Mas por muito que cresça um sector que assegura menos de 3% do PIB, dificilmente aceitaremos que é por aí que Portugal monta uma estratégia de crescimento com sucesso.

Desenvolvamos a agricultura mas não façamos disso uma moda que ocupe o espaço mediático para além do que realmente vale.

sexta-feira, 10 de junho de 2011

Cavaco Silva e Pinto Monteiro - tomem lá que é democrático.

Pinto Monteiro, num acto de servilismo tão desprezível como o que revelou na protecção a Sócrates, o Falso, decidiu apressar-se a processar criminalmente o director da Sábado, por este ter anotado que Cavaco interpretara a sua vitória eleitoral da mesma forma que dois condenados pela justiça. 

Cavaco, o Simples, concordou com o processo crime. Apesar de péssima, essa decisão é menos má que a do serventuário de serviço, o yes-man a todos os actos provindos do poder.

A justificação vermicular que acompanha a decisão de processar o crítico de Cavaco tresanda ao que mais senil havia no estado novo.
Como dizia o ex-bobo oficial do regime ... não havia necessidade.

Em relação a Cavaco há vários sinais de mudança de personalidade e pobreza de pensamento preocupantes. A sério: ficaria mais descansado se tivesse a certeza absoluta que o cidadão Cavaco Silva não sofre de um processo demencial em fase inicial.

António Costa e a Quadratura

António Costa assassinou politicamente Seguro dizendo que o conhece pessoalmente há "décadas" mas "não sabe o que ele pensa".

Para bom entendedor: Seguro é mesmo muito fraco para o cargo a que se propõe.

António Costa lançou a sua candidatura a Primeiro Ministro após o esgotamento de Assis ("se não fosse presidente da CML é possível que me candidatasse a secretário geral do PS).

Em resumo: mata Seguro e descreve Assis como líder transitório.

quinta-feira, 9 de junho de 2011

Quadratura do Circulo - 09-06-2011

António Costa


"Não conheço António José Seguro. Sei quem é mas não o conheço bem.
Não conheço o pensamento de Seguro."
"É necessário fazer a integração regional dos organismos desconcentrados do estado."
"Há coisas que se não se fizerem no início da governação já não se farão pois nessa altura os serviços já terão tido tempo de dar ao ministro as 100 razões pela qual não podem ser fundidos".

Pacheco Pereira


Nem que houvessem 50 génios no governo deixaríamos de ter enormes dificuldades de governação.
Repete a pergunta "com a extinção das instituições no estado para onde vão as pessoas?"
"É inaceitável que a primeira coisa que se faça para reduzir o estado é criar mais uma comissão".
"Não é possível emagrecer o estado sem despedimentos na administração pública"

Lobo Xavier


"Segundo Costa quem será Seguro? Ninguém!"
"Sou tido como ministriável porque um comentador (Marcelo) lançou essa ideia. Quando não há noticias fazem-se notícias sobre notícias."
"Eu e o Pacheco sempre dissemos..." - definitivamente ainda não o convidaram para ministro.
"Agora já estou a governar..." - definitivamente ainda não o convidaram para ministro.
"Se eu fosse governante..." - definitivamente ainda não o convidaram para ministro

Gulaguezinho

O Daniel está quase a descobrir que aquilo que lhe diziam ser uma arca frigorifica lá no BE é afinal a sementesinha do Gulag da esquerda caviar.

A propósito   ...   quem é Daniel Oliveira?

Cuidado na hora de telefonar

Conta-se, não sei com que fundamento, que Salazar teria decidido convidar o Prof. Ricardo Jorge para o que hoje é o ministro da Saúde. Contudo, por engano, alguém ligou ao filho que era homónimo - igualmente médico mas sem o talento do pai. O rapaz viria a exercer o cargo por escassos meses após o que  confirmada a sua menoridade foi afastado. 

Recentemente Sócrates teria cometido um erro semelhante ao convidar para ministro da cultura não o homem certo mas um homónimo com grande vontade de dizer sim mas sem qualquer conhecimento da área.

Agora, com os olhos postos em nós, seria bom ninguém se enganar e telefonar à pessoa errada para um cargo ministerial.

quarta-feira, 8 de junho de 2011

Comando de Oeiras

A NATO quer tirar-nos o Comando de Oeiras.

Será que esse comando poderia ser considerado um dos activos com comprador a que se referia Cadilhe?

Leve um submarino e ganhe um Comando como brinde!

Candidatos Presidenciais do PS

Helena acha que António Costa e Sócrates são pré-candidatos do PS à Presidência pós Cavaco.

Não concordo. Não sei quem serão os pré-candidatos mas do lado do PS acho que Vitor Constâncio e Jaime Gama teriam outro peso.

Liderança

Um líder aponta caminhos, interpreta e potencia vontades.

Não é um teórico e não é apenas um representante. Menos ainda é um analista ou um comentador. Quer ter sucesso mas esse não é o primeiro ponto da sua agenda.

O PS dificilmente encontrará um líder nestas eleições.

Francisco Assis

Francisco Assis é um homem sério e intelectualmente capaz.

É demasiado palavroso, lembrando um pouco Guterres, o "picareta falante".
Tem uma trajectória rica em que inclusivamente ponteia a presença de espírito em situações de adversidade física, como aconteceu em Felgueiras.

Há contudo nele e, pior, em António Costa, um passado recente de branqueamento da acção de um homem tão maligno como Sócrates.

Mais tarde ou mais cedo vai ter de se perceber porquê.

Vender os submarinos?

Cadilhe recomenda que se vendam todos os activos que têm comprador.

Recomenda nomeadamente que se vendam os submarinos.

terça-feira, 7 de junho de 2011

Onde estava Ana Gomes?

- Onde estava Ana Gomes quando a clique socrática distribuía o dinheiro dos nossos impostos pelos amigos?
- Onde estava Ana Gomes quando a clique socrática endividava portugueses ainda por nascer hipotecando o seu futuro em mais de 100.000 milhões de euros?
- Onde estava Ana Gomes quando a clique socrática tomava ou tentava tomar de assalto os órgãos de comunicação social portugueses, atacando a democracia e a liberdade de opinião?
- Onde estava Ana Gomes quando a clique socrática organizou aquele congresso cuja estética de propaganda era mais parecida com os congressos nazis que com os congressos democráticos?
- Onde estava Ana Gomes quando no aparelho de estado e arredores os socratistas perseguiam, processavam, demitiam e asfixiavam financeiramente quem quer que pusesse em causa o "querido líder"?
- Onde estava Ana Gomes quando o PS distribuía PINs, zonas de reserva agrícola ou outra pelos amigos para estes construírem betão armado?
- Onde estava Ana Gomes quando o PS pela voz da clique socrática aldrabava com quantos dentes tinha o país?
- Onde estava Ana Gomes quando, segundo as vítimas, altas esferas do seu partido abusavam crianças escolhidas a dedo por serem pobres e sem ninguém - sem um pai que ferrasse um par de murros a esses VIPs seus camaradas?
- Fazia nudismo no Meco?

Submarinos

Apesar desta senhora ter aparentemente desvairado, ao trazer numa altura em que virão dois anos de miséria para quase um milhão de familias - com o correspondente ódio a Sócrates e seus acólitos  por parte do povo mais simples - ao trazer a questão de comportamentos não apenas criminais mas suficientemente desviantes para que esse povo não sinta por eles qualquer empatia, Ana Gomes arrisca-se a acordar um antagonismo popular que desvastará o PS.

Será que com a Casa Pia na agenda mediática alguém normal se candidatará a líder do PS? Como em política há horror ao vazio e o PC / BE estão sem soluções, nada impede que surja uma força política viável no centro esquerda se as coisas correrem suficientemente mal.

Já no que toca ao caso dos submarinos a coisa é diferente e tudo deve ser feito para perceber o que se passou. Isto não deve ser demasiado difícil dadas as investigações em curso na Alemanha.

Casa Pia

Os crimes sexuais mais graves cometidos por adultos contra crianças não deverão ser vistos como crimes contra a humanidade?
Será legítimo prescreverem crimes contra crianças com idade igual ou inferior a 12 anos quando estes destroem psíquica e fisicamente crianças para sempre (a medicina ainda não consegue resolver a incontinência de crianças vítimas de abusos repetidos por parte de adultos) ?

Eis uma pergunta a fazer àqueles advogados famosos e ricos que conseguiram impedir, com truques processuais só possíveis em países do terceiro-mundo, que no caso Casa Pia não se ouvissem para memória futura as vítimas dos violadores da Casa Pia.

Proponho uma alteração legislativa que considere que os crimes sexuais contra crianças pequenas nunca prescrevam pois são crimes contra a humanidade.

Nessa altura Catalina Pestana teria de nos dizer quem são esses tubarões da vida pública portuguesa que abusaram crianças durante anos impunemente.

Obrigado por trazeres este assunto à colação Ana Gomes.

Casa Pia ? - Pessoalmente desaconselho

Pessoalmente desaconselho Ana Gomes a reacordar a vertente política do caso Casa Pia. Julgo que isso irá ajudar a impedir uma profunda renovação do Partido Socialista. Essa linha vai enquistar e barricar os interesses da parte do PS que dominava o partido quando ele teceu uma urdidura para proteger militantes seus da máquina judicial. Ora o timming é péssimo pois ainda não foram explantados os comedores de impostos (de grupo de Sócrates) e já se querem acordar os casapianos (do grupo de Ferro). Isto vai direitinho à re-judicialização da política.

Ora, judicializar a política, como escrevi no passado, é uma tradição portuguesa que impede o verdadeiro debate político.

É sinónimo da nossa dificuldade em assumir posições políticas antagónicas. Se discordas de mim, é a mensagem, é porque és criminoso ou mau.

Veja-se como o Bloco de Esquerda fez uma campanha centrada em valores morais não suficientemente associados a opções políticas.

Como dizia McCain, numa campanha impossível nesta triste europa, podemos discordar de pessoas que respeitamos.

Ana Gomes parece querer reabrir o processo Casa Pia

Concordo plenamente.

Vamos nomear uma Comissão Parlamentar de Verdade e Reconciliação do país com o seu passado de abuso de crianças escolhidas a dedo por serem simultaneamente isoladas e pobres.

Ana Gomes e a Casa Pia

Ana Gomes diz que Paulo Portas não tem condições para pertencer ao governo por causa do caso dos submarinos. 

Será que foi porque estragou o negócio a alguns xuxas que contavam com a compra dos quatro que tinham encomendado e o malandro do Democrata-Cristão só comprou dois? É que as comissões caem para metade com metade do negócio.

Ana Gomes diz ainda que os americanos vão atacar o Iraque com armas nucleares, ah desculpa isso foi aqui à uns anos que lhe deu para esse lado, ela agora diz que foi o Portas que envolveu o PS no caso Casa Pia.

Mas será que durante a cabala do PS contra a justiça não ficou claro como água que o Pedroso e o Ferro eram acusados não por Portas mas sim por alunos da dita casa pia, os mesmos que mantiveram coerentes os seus testemunhos após a alegada operação que limpou Pedroso do processo e os mesmos que os tribunais tomaram como bons para prender - quer dizer condenar porque se os prendem podem dar com a língua nos dentes - os pedófilos VIP que todos vimos a passear pela coleira advogados caros? 

Será que em vez do Paulo Portas não terão sido crianças pobres, sem pais que estivessem dispostos a ferrar um murro nas trombas aos violadores ricos, socialistas e solidários, que acusaram Pedroso e Ferro Rodrigues de serem criminosos da pior espécie?

Será que não ficou claro que os alegados sodomizadores VIP de crianças escolhidas por serem isoladas e pobres, envolveram meio mundo na sua cabala contra a justiça, incluíndo a Ordem dos Advogados, a Assembleia da República e a Presidência da República ?

Será que não sabemos que só por ter prescrito o alegado crime é que Ferro Rodrigues não foi preso?

Será que não sabemos que a lei penal foi modificada num sentido que protegeu os violadores de crianças após estar em curso o processo?

Será que não sabemos que a cabala contra a Justiça que o PS montou incluiu não apenas o ataque sustido contra as vítimas mas, bem revelador, o ataque contra todos os que protegeram as vítimas?

Atacaram-se professores da Casa Pia, educadores, psicólogos, médicos, a provedora, a polícia, a procuradoria, os juízes - todos os que protegeram as vítimas. 

Se Portas estava envolvido na protecção das vítimas porque não se atacou Portas na altura?

Será que com a morte do PS que gostava do dinheiro dos nossos impostos vai renascer agora um outro PS de má memória?

segunda-feira, 6 de junho de 2011

Ah ... deve ser isso!

Já sei porque é que não há médicos, enfermeiros, farmacêuticos, fisioterapeutas, administradores hospitalares ou profissionais de Saúde Pública em número relevante no parlamento:
pelo mesmo motivo que não há militares nem juizes!

Assim percebemos que destino se poderá esperar para a política de saúde em tempo de restrições orçamentais e que fiscalização podemos esperar da acção do governo por parte do parlamento.

Estranheza e Proposta


O Ministério com o maior orçamento do governo é o ministério da saúde. A quase totalidade desse orçamento dedica-se a tratar de pessoas doentes.

Olhando assim, "em passant", para a que, segundo o Diário de Noticias, é a profissão declarada dos deputados eleitos e a profissão por que são conhecidos alguns deles, não se pode excluir que hajam menos profissionais de saúde que larápios (mesmo considerando benignamente que se algum acumulasse o contássemos como profissional de saúde e não como gatuno).

Proponho pois, em nome da transparência, que os últimos tenham direito a ministério (Ministério da Apropriação por Acção Directa).

Os gato fedorento e o PAN

O BE teria corrido risco de extinção caso os Gato Fedorento tivessem concorrido às eleições, como foi escrito neste Blog no passado.

Como quem concorreu foi o PAN o BE aguentou-se. Mas volto a avisar Louçã: os eleitores do BE que ultrapassem 2,5% não são comunistas de nenhuma das variantes do cardápio.

Ele está na hora de saberdes o que quereis representar.

domingo, 5 de junho de 2011

You can copy but please don't paste

Copiem-se as leis da Alemanha e não seremos a Alemanha.
Copiem-se as leis dos Estados Unidos e não seremos os Estados Unidos.
Copiem-se as leis do Japão e não seremos o Japão.
Goes beyond that.
Copiado de um blog associado

Truques 2b



Esgotei o tempo que tinha para procurar o estudo original.

Aguardo que um blog económico o encontre.
Suspeito que o truque esteja na expressão “individual”.
Ou seja, suspeito que quando se compara o que produz um operário português numa linha de montagem de automóveis se descubra que ele produz o mesmo que um alemão. Se for o caso, esse facto é ainda assim uma distorção, pois em relação à estrutura da economia a nossa industria produz menos carros e mais sapatos que a alemã, os carros valem mais que os sapatos e de não chega comparar a produtividade sector a sector.

Truques 2

Para começar, nesta fonte percebe-se que a produtividade anual (já em paridade de poder de compra) por hora de trabalho é diferente:

Alemanha 53,5$US  por hora
Portugal    26,5$US  por hora

Irreflecção irreflectida

31 da Armada deu conta duma decisão do CNE que parece não ter sido bem interpretada.

Falando a título pessoal Godinho distingue o debate legítimo que se faz entre pessoas que voluntariamente entram ou assistem a esse debate - como é o caso dos blogs - da imposição não solicitada de opiniões a terceiros, como comícios, carros de som, etc.

Truques

Um estudo apareceu a dizer duas coisas, uma que sabíamos e outra que é ilógica.

A que sabíamos é que os portugueses (e gregos e italianos e espanhois - e provavelmente Ugandeses, vietnamitas e bolivianos) trabalham mais horas que os alemães. Não admira. Só falta um estudo a provar que na idade da pedra não havia feriados e não se passeava de bicicleta com a família à volta de lagos.

A que é ilógica é que os alemães produzem individualmente menos em média por hora que os gregos. Se calhar os lisboetas produzem em média por hora menos que os guineenses.

Há aqui um truque como é óbvio e impressiona que as pessoas engulam tudo.

Vou ver qual é o truque e depois já volto.

sábado, 4 de junho de 2011

Valeu a pena

Desde já importa dizer com clareza:

#1 Valeu a pena derrubar o governo do Falso
#2 Dificilmente poderia ter sido feito noutra data
#3 É hoje evidente que não teremos condições para pagar a dívida com as actuais taxas de juros
#4 O PS está à beira de um suicidio colectivo ao ter substituído o antifascismo pelo polvo dos interesses; caso tenha entre 30 e 32% dos votos está perdido. Se tiver menos de 27% estará salvo. Se tiver mais de 34% este país não tem solução interna.
#5 O PSD tem um pequeno espaço de manobra com o emergir duma nova geração
#6 Passos Coelho tem até Novembro para mostrar à máquina profissional do partido que o país vale mais que os interesses de curto prazo dessa rapaziada
#7 Há um enorme risco do sector Cavaquista usar a PR para tentar interferir na vida interna do PSD e caso falhe, caso Passos também falhe no controlo da máquina e o PS ficar com Sócrates ao leme, a possibilidade da repetição por parte de Cavaco da aventura Eanista em 2014 é real
#8 Portas e Passos devem estabelecer uma relação pessoal de lealdade para o governo resistir 4 anos.
#9 A revisão da constituição deve voltar a ser colocada na agenda política.
#10 Se Passos colocar o país acima do partido, a fusão PSD / CDS numa casa comum da direita Portuguesa tem de ser ponderada, sendo mesmo inevitável se o CDS atingir 16%. O MEP e o MPT devem ser incluídos.

sexta-feira, 3 de junho de 2011

Projecção legislativas 2011

Eis a minha projecção unipessoal:

PSD    37%
PS       27,5%
CDS   14%
BE       8%
CDU   7,7%
MEP   1,3%
MRPP 0,7%
OB      3,8%

That's all folks

O último círculo do circo

Se olharmos para os braços armados da esquerda trauliteira peri-Socrática reconhecemos de imediato a presença isolada de gente de baixo estrato social à solta. Ou seja as pessoas mais instruídas que geralmente frenam esta gente estão pouco presentes.

Este é um dos sinais da decadência final de Sócrates. Está cada vez mais rodeado apenas pelos desesperados e pelos tontos.

Sondagem unipessoal 03-06-2011

PSD 37%
PS 28,5%
CDS 13%
BE 7,5%
CDU 7,5%
MEP 1,2%
OB 5,3%

Aceitam-se apostas

quinta-feira, 2 de junho de 2011

Sondagem unipessoal 02-06-2011

PSD  38%
PS     29%
CDS  12,5%
BE       8%
CDU    7,5%
MEP     1%

Outros e Brancos 4%

Aceitam-se apostas

Sócrates - truques de secretaria para abandonar doentes

Os truques do Ministério da Saúde para poupar dinheiro abandonando doentes não param de aumentar.

Já sabíamos como Sócrates defendia o estado social. Agora sabemos como defende o Serviço Nacional de Saúde.

Dificultar o acesso à saúde, à espera que os doentes vão para a privada ou morram entre hospitais?

Uma área triangular atlântica sem a Alemanha

BRAÇO EUROPEU - 200 milhões
Portugal
Espanha
Itália
Austria
Irlanda
Reino Unido
Noroega
Suécia

BRAÇO NORTE AMERICANO - 350 milhões
Canadá
USA

BRAÇO SUL AMERICANO - 240 milhões
Brasil
Uruguai
Argentina

Só a proposta talvez acordasse a Alemanha e seus satélites

second life in alternative history

quarta-feira, 1 de junho de 2011

Devia a Alemanha sair do Euro?

O BCE perante a inflação alemã e o fraco crescimento económico do sul da europa decide aumentar a taxa de juro, o que diminui a inflação na Alemanha e trava o crescimento no sul da europa.

Perante isto ocorre-me uma sugestão: que tal a Alemanha sair do euro?

Sondagem unipessoal 01-06-2011 (modif.)

PSD 37,5%
PS    30 %
CDS 12,5 %
BE 7,5%CDU 7,5%

Outros e Brancos 5%

Aceitam-se apostas

Liberdade e Transparência

Para além da necessidade de mudar o Estado, há a necessidade de aumentar a liberdade e a transparência.

Liberdade para que a iniciativa, o empreendedorismo e a imaginação, não sejam sepultados pela burocracia, a inveja e o status quo dos interesses já estabelecidos.

Transparência para que quem quer começar algo de novo saiba quais são as regras do jogo, as verdadeiras e não as expressas oficialmente, para que haja uma competição sã e para que as regras não mudem constantemente segundo interesses inconfessáveis. Se mudarem, temos de saber que vão mudar e temos que saber claramente porquê.

Mérito ético

O mérito ético não é um atestado de santidade nem a promoção de pregadores da moral.

O mérito ético é a compreensão dos efeitos deletérios para a "economia" de se usar o amiguismo e interesses de grupo em vez da transparência, da frontalidade, do primado da verdade e da defesa do interesse geral, na escolha de pessoas e de políticas para as instituições.

O aspecto essencial quando se escolhe uma pessoa é saber com que critérios é que essa pessoa escolhe os seus colaboradores.

As redes de influência que tomaram o estado com a intenção de distribuir pelos amigos o dinheiro dos impostos têm de ser identificadas e afastadas.


domingo, 29 de maio de 2011

A necessidade de diversificar os media

Em Portugal quer a imprensa escrita quer os media audio-visuais são dominados pelo conservadorismo de centro-esquerda que impõe o que é politicamente correcto. A linguagem, os factos e temas escolhidos, os termos do debate, os interesses fácticos infelizmente dependentes do orçamento de Estado, o esboço apenas da especialização, fazem da informação portuguesa uma aliada da cultura política que o PS representa.

O programa televisivo Prós e Contra é um exemplo típico: fora do período eleitoral em que se compete por votos e portanto têm de se criar divergências, muitas vezes menores e artificiais, o programa mais se podia chamar de prós e prós. Durante a Guerra do Iraque, para dar um exemplo de um episódio em que era fácil encontrar opiniões antagónicas, quando se queria um debate sobre a guerra se convidavam pessoas de direita que eram CONTRA a intervenção para debater com pessoas de esquerda que eram CONTRA a intervenção!

Apesar destes media representarem sem dúvida um  posicionamento representativo e em boa parte "mainstream" não representam todo o espectro politico-cultural do país.

É por isso urgente que se criem meios de comunicação abertos a outra mundivisão que não a socialista / socialdemicrtatica.

Quem está disposto a dar esse passo?

sábado, 28 de maio de 2011

Sondagem unipessoal 28-05-2011

PSD 36%
PS 31%%
CDS 13%
CDU 8%
BE 7%
Outros e Brancos 5%

Aceitam-se apostas na caixa de comentários.
Sempre gostaria de ver se as empresas de sondagens apostavam um cêntimo nas suas próprias sondagens.

sexta-feira, 27 de maio de 2011

Almeida Santos e o Beijo de Judas

Se não aconteceu...

Almeida Santos, a mando do Pai Soares deu o Beijo de Judas a Sócrates com o elogio do patriota. Como disse atrás marcou-o para morrer.

Agora o filho é chamado para "damage control", tentando acordar velhas solidariedades do tempo da cabala do PS contra a Justiça nos tempos mortais do caso Casa Pia, e tentando que certa gente acorde para uma ameaça diferente da ameaça que os devoradores do orçamento do estado sentem com a perda de Sócrates.

Julgo que não irá a tempo nem tem para tal talento.

Soares, o Pai, marcou Sócrates para morrer. Está marcado.

Mas há um pequeno problema : Sócrates. Pinto da Costa sentiu esse problema quando Mourinho foi treinador do Porto. Se bem que no caso de Mourinho este fosse tecnicamente  de uma competência excepcional e Sócrates seja incompetente e se bem que Mourinho não fosse claramente Portista e Sócrates pareça ferrenho, há semelhanças.

Os Aliados - com os dos dois pólos tradicionais do PS (os moderados Soaristas e a esquerda Sampaísta) - não podem ter a certeza de conseguir vencer o Eixo Sócrates - Polvo.

terça-feira, 24 de maio de 2011

Fernando Nobre

Qual o papel de Fernando Nobre e qual o papel das IPSS?

Fernando Nobre serviu, até por ser desajeitado, para impedir que o PS colasse ao PSD a imagem de radicais de direita  e impede que o CDS colha sózinho frutos na imensa rede de IPSSs que se estende pelo país.

Os tais 600.000 votos são de gente muito diversa mas entre eles não é difícil imaginar que estejam dezenas de milhar de votantes PS que nem são da ala esquerda nem suportam Sócrates, o falso.

Ora esses são exactamente os votantes transferíveis para o PSD - pessoas que ou votam PS ou se abstêm e em relação aos quais Nobre pode ser um mini PRD, transferindo-os para o PSD.

Sócrates: depois do país, o PS

Depois de se agarrar furiosamente ao poder no país o que fará Sócrates para manter influência e proteger o que quer que queira proteger e nós ainda não descortinámos.

Vai agarrar-se qual lapa ao poder no PS. Não se demitirá facilmente. Para proteger os seus interesses e os dos seus vai fazer ao Partido Socialista o que fez ao país: dar-lhe o abraço da anaconda, o abraço mortal da giboia.

Sócrates não vai largar o PS e quando o largar não vai sobrar PS. Mário Soares sabe disso.

Se este homem tiver mais de 29,5% dos votos, se puder dizer que teve 30%, mais do que o PSOE aqui ao lado, Sócrates não sai.

Não basta portanto aos socialistas brindarem à derrota de Sócrates - é vital para que o PS se possa livrar do Falso que o PS tenha menos de 29,5%.